O Amor nos Tempos de Cólera

Se não tenho estado activa no blog é apenas porque resolvi tirar algum tempo para mim e viajar pela Colômbia na viragem do século XIX para o século XX. Não, não inventei uma máquina do tempo, pois não sou assim tão engenhosa, nem encontrei o vira-tempo da Hermione Granger, pois também não sou assim tão astuta! O meu segredo está antes nas palavras sedutoras de Gabriel García Márquez com as quais me cruzei na leitura da sua obra "O Amor nos Tempos de Cólera".



Cerca de um ano depois de o comprar, resolvi-me, finalmente, a ler o livro por inteiro e orgulho-me de dizer que consegui! Acreditem, não foi tarefa fácil depois de uma longa temporada de abstinência. Aliás, admito que me senti obrigada a fazer várias pausas entre a leitura, porém ressalvo que este é um romance que não se equipara aos contemporâneos de frases feitas. A obra de Gabo apresenta-se mais completa e verdadeira tocando não só os corações jovens e apaixonados, como também os corações partidos, os corações desolados, os corações acomodados e, por último, os corações renovados

E por falar em comodidade e renovação, no início o narrador apresenta-nos ao Doutor Juvenal Urbino, um velho de setenta anos que é chamado de urgência para reconhecer a morte do seu amigo e adversário no xadrez Jeremiah de Saint-Amour. Mas quando digo que é velho sublinho que ele é mesmo velho! Tem essas manias de velho e assim leva esse modo de vida simples de velho, rotineiro, sem grandes mudanças. Mas não se habituem a este ritmo, porque se a morte chega para todos, inclusivamente para o seu amigo Jeremiah, também ao Doutor Juvenal Urbino faz uma trágica visita e lhe propõe um último adeus à sua esposa de longa data Fermina Daza.


Eu sei o que estão a pensar. Então e agora? O que é que acontece? DESENGANEM-SE, contudo, pois este não é o fim. Tal como referi anteriormente é apenas o início. Mas claro, sendo o início, esta também não é a história de amor entre Fermina Daza e o seu marido. É, sim, a história de como Fermina Daza, senhora do seu nariz e na flor da idade, conheceu - cinquenta anos antes - Florentino Ariza, pobre e desajeitado, porém eloquente, e de como ainda assim se apaixonou por ele, lhe alimentou o amor através de cartas perfumadas e mais tarde o desprezou pela sua aparência, porém sem nunca se esquecer da sua sombra, nem mesmo quando casou com o cavalheiro e elitista Doutor Juvenal Urbino. Da frente para trás e de trás para a frente assim conheci os enlaces e desenlaces do amor que se apresenta sob variadas formas e que ousa até disfarçar-se de uma Cólera febril!

No dia 6 de Março a Google celebrou o 91º aniversário de Gabriel García Marquez 

A escrita de Gabriel García Márquez encantou-me como se cada palavra fosse uma nota tocada pela flauta de Hamelin. É uma escrita detalhada e cativante cuja beleza não me permite abandoná-la durante muito tempo apesar de, por vezes, ser também um pouco exaustiva, mas nunca monótona, atenção! Justifico esclarecendo que, para contar uma história, o autor amarra nós que tão depressa desamarra e volta a amarrar de modo a não deixar que alguma personagem, primária ou secundária, seja posta de parte sem primeiramente nos dar a conhecer um pouco dos seus antecedentes, associar a ela uma característica ou evento caricato que nos permita identificá-la com maior facilidade. Isto vai fazer com que nos sintamos mais integrados, a par de todos os entendimentos e desentendimentos no enredo. Assim, a escrita arrasta-se mesmo quando não existe muito mais para contar. DESENGANEM-SE novamente se pensam que por isso não vale a pena ler "O Amor nos Tempos de Cólera" porque é por essa mesma razão que vale a pena ler! Arrisquem um pouco e percam-se nas palavras de Gabriel García Márquez! Livro de bolso disponível na WOOK por apenas 9,95€! 

Até Breve!

12 comentários:

  1. Opahhh agora deu-me saudades...quando acabar o " Maestria " acho que o vou reler... amo!

    Beijinhos
    https://titicadeia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Adorei esta tua publicação e também o modo como tão maravilhosamente eacreveste sobre um livro que me despertou tanto o interesse!
    Já há algum tempo que ando com vontade de me aventurar por uma obra deste escritor do qual já ouvi falar tão bem, e com esta publicação essa vontade ficou ainda maior. Tenho alguns livros seus em casa mas este não, mas vai com certeza ser uma das próximas aquisições porque se há em versão de bolso ainda dá mais jeito :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto vale mesmo a pena! Eu estava um pouco receosa de achar aborrecido, mas acaba por ser cómico e cheio de referências às ironias da vida!

      Vai em frente! ^^,

      Eliminar
  3. Não conhecia, mas deixaste-me curiosa! Tenho que ler essa obra! :P

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia, bem ja vi que é quase obrigatório. Vai ser o dia da mãe uhmm uma boa compra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certamente que é uma excelente opção para oferecer no dia da mãe - a sério! ❤

      Eliminar
  5. Não conhecia, o tempo para ler também não é muito mas parece ser uma excelente aquisição!!!
    Beijinhos.
    http://www.opecadomoraemcasa.pt/

    ResponderEliminar
  6. Tenho muito curiosidade em ler esse livro (agora ainda mais!) eheh :D beijinhos!!**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por pensares assim! Vou tomar como elogio ^^, beijinhos ❤

      Eliminar